Home Office é o caminho?

6 Minutos de leitura

Home Office é o caminho?

Já tem algum tempo que acredito que devemos repensar a forma como trabalhamos para empresas atualmente. Acho que esse modelo presencial, quase militar de cumprimentos de regras e horários, está tornando a sociedade cada vez mais “doente” e trazendo problemas não só para as empresas como para seus funcionários.

Não tenho nenhuma pretensão de escrever um guia definitivo, apenas aumentar o debate e descrever um pouco da minha experiência no caminho dessa “nova” modalidade de trabalho. Acredito, também, que precisamos amadurecer bastante até podermos afirmar que estamos prontos para encarar um desafio desse porte.

Home Office não é novidade, concebido nas décadas de 70 e 80 por visionários como Jack Nilles e Alvin Toffler, os quais previram que o trabalho de escritório do futuro seria realizado na casa das pessoas ou nos arredores, com a ajuda da tecnologia. Hoje temos Internet, Celulares, Smartphones, Notebooks, Tablets, para ajudar nesse desafio.

Cresci numa casa com muitos advogados, me lembro de ir pequeno ao escritório do meu avô, era sempre uma diversão, era um passeio! Com o passar do tempo percebi que não tinha mais o escritório que ele ia diariamente. Ele passou a trabalhar de casa (olha o home Office aí) e quando precisava atender um cliente usava o escritório de algum colega ou alugava uma hora em alguma sala comercial (olha o coworking). Em dado momento compramos um fax (!!!) e então meu avô agregou mais valores ao seu trabalho, trouxe agilidade e facilidades (as tais ferramentas modernas, nesse caso nem tão modernas mais, citadas acima).

Então, pra mim, desde cedo é difícil entender que para produzir o necessário seja preciso estar sentado à mesma mesa, nos mesmo horário, todos dos dias. Sempre vi o trabalho ser feito (e bem feito) sem essa obrigatoriedade.

Entendo que para algumas profissões ou ramos de atuação seja mais difícil usar o home Office, mas no fundo o que temos mesmo é um grande preconceito, não conseguimos associar produtividade, eficiência, estando fora de um “local comercial”. Há sim uma necessidade de identificar e definir quais funções são elegíveis a pratica do home Office.

“O trabalho do século 21 está focado no que você faz, e não onde você faz.”

E porque abraçar essa causa? Podemos listar alguns benefícios com o trabalho nessa modalidade: Economia, flexibilidade, comodidade, conforto e qualidade de vida.

Diversos gastos podem ser drasticamente reduzidos, menos funcionários, menos despesas com aluguéis, limpeza, energia elétrica, água, etc. Do ponto de vista do funcionário temos a redução de despesas com vestuário, alimentação e transporte. Não que você vá abrir mão dos benefícios ou mesmo que a empresa tenha que deixar de pagar isso, mas esses investimentos podem ser aplicados em outros pontos do contrato de trabalho.

A redução do deslocamento melhora a qualidade de vida do funcionário. Se usa transporte público é uma economia de tempo e caso use seu próprio carro, pode até pensar em se desfazer dele e economizar até nos impostos. Ou optar por se deslocar de taxi, uber, carro alugado ou carona com amigos. Isso sem mencionar a economia com roupas (até de pijama você pode trabalhar, embora não tenha funcionado pra mim), almoçar em casa ou comer perto de casa. Restaurantes próximos podem ter preços melhores (e qualidade também) do que os que ficam próximos a sua empresa.

A maioria das empresas hoje tem a visão gerencial por horas trabalhadas ao invés de trabalhar por produção (ou entregas). Acabam, com isso, tendo estruturas inchadas e pouco produtivas. Longas reuniões que se arrastam pelo dia todo entregando pouco e criando as fugas necessárias para justificar projetos fora do prazo. Lá no começo do texto falei em cumprimentos de horários quase militares e em muitas empresas é mais importante bater o ponto na hora certa do que produzir o que se espera (e precisa).

A falta de maturidade dos profissionais envolvidos em estimar o tempo para realização das tarefas força que seu acompanhamento seja feito por horas e não por entregas. Gestores sem a devida experiência para mensurar o tempo de atividades onde ele deveria acompanhar, orientar e gerenciar.

Não podemos cair na armadilha de achar que home Office é uma desculpa para se trabalhar mais horas do que se estivesse na empresa. Isso só vai acontecer se não tivermos maturidade, capacidade ou habilidade na alocação das horas e na prestação de contas do trabalho a ser produzido.

Não existe uma fórmula mágica, acredito que podemos começar com alguns dias em casa e pouco indo ao escritório ou ao cliente. Por exemplo: 3 dias em casa, 2 no escritório. Ainda acho importante termos aquele dia de ir ao escritório e trocar experiências ou planejar as próximas etapas do projeto.

Diante disso é fundamental melhorar nossa organização pessoal. Levei 5 anos até considerar que tinha criado estruturas e ganho maturidade suficientes para trabalhar em home Office. Organizar um cantinho da sua casa, montar um escritório em algum dos quartos, ter uma cadeira confortável e uma mesa com espaço suficiente, até mesmo ter uma impressora.

Em minha casa eu não tive espaço para tanto, então foi preciso montar uma estrutura móvel e principalmente disciplinar quem mora comigo. Quando trabalho em casa, monto minha mesa, organizo papeis e demais itens que preciso para efetuar aquele trabalho e fecho a porta do quarto. Meu filho menor tem sua babá e até mesmo em um dia que ele caiu (eu ouvi o barulho e o choro) me segurei e só sai do quarto após terminar a tarefa que estava trabalhando. Por mais cruel que pareça se eu parasse naquele momento perderia o foco e o trabalho não renderia o necessário. Concluída a tarefa fiquei com meu filho uns minutos, mas tudo já havia passado e ele já estava brincando novamente. Aqui o pensamento é simples, se você estivesse no escritório ele teria caído da mesma maneira e você não poderia ter feito nada (da mesma maneira). Claro que se for algo grave a babá dele tem autorização pra me interromper no momento que for preciso.

Apesar de não achar necessário você comprar uma casa maior ou sair promovendo uma mega reforma, a mesa da sala serve, o importante é ter uma estrutura a seu favor. Além da internet de casa eu ainda tenho o plano de dados do celular, caso uma saia do ar à outra fica de backup, tenho 2 computadores e vários HDs com backups dos arquivos de trabalho. E nunca esqueça que o ambiente deve ser o mais calmo possível.

Não é crime você parar um pouquinho. Pode ir ao mercado, ver uma série, brincar com seu filho ou até mesmo jogar uma partida de videogame, desde que você faça isso no tempo que separou para relaxar, ou quando você estiver num aqueles impasses e precisar arejar a cabeça.

É importante que o contrato com seu empregador deixe claro qual é a sua entrega e que você não aproveite essa relação de confiança para empurrar tudo com a barriga. Conforme o Home Office fique mais natural quem vai dizer ao mercado que tipo de profissional é, será você mesmo.

Uma das grandes vantagens desse modelo é buscar viver melhor, sei que isso vai depender muito das pretensões e oportunidades que cada um tiver e buscar. O home Office te permite ter 2 ou 3 empregos, desenvolver um projeto pessoal ou simplesmente trabalhar menos.

“Ser bem sucedido não é trabalhar muito, ganhar muito ou ter muitas coisas.”

Esse é um conceito equivocado do mercado, tenho 20 anos de experiência profissional e nunca me senti tão produtivo quanto hoje em dia. Trabalho para grandes empresas, melhorei meu foco nas tarefas, tenho tempo para jogos e séries, principalmente tempo para ficar com minha família e amigos e ainda trabalhar em projetos pessoais.

Considere abrir sua empresa, quando abri a minha pensava simplesmente que era uma maneira do meu empregador de burlar a legislação trabalhista. Com o tempo aprendi a usar essa relação ao meu favor, seja trabalhando menos horas, seja não tendo a obrigação que um funcionário contratado tem, seja cobrando valores abaixo do mercado (em comparação a um funcionário contratado fazendo o mesmo serviço). E isso é possível, pois todos os envolvidos têm menos despesas, a empresa não precisa reservar espaço pra mim e eu diminuo meus gastos com transporte, alimentação e etc.

Mas nunca entregue algo de baixa qualidade e não estoure os prazos. Tenha esses pontos como suas regras sagradas. Existem diversas ferramentas grátis que podem lhe ajudar a cumprir seus prazos, monte uma agenda de trabalho, “trancando” os horários de trabalho e deixando livres espaços para um breve descanso, use serviços de armazenagem de arquivos na web (google drive, dropbox, etc.) mensageiros instantâneos, crie listas de tarefas, veja sistemas de gestão de projetos e por ai vai. Vá sempre revendo os prazos das tarefas concluídas e melhorando suas estimativas de entrega.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz