Qual é o seu perfil financeiro?

4 Minutos de leitura

No artigo anterior contei um pouco da minha experiência de controle de gastos e criação de um método particular de planejamento financeiro. Os artigos seguintes servirão pra abrir um pouco mais aqueles 10 pontos que me ajudaram a iniciar esse processo e como eles podem servir de pontapé inicial para o seu.

Você já se perguntou como lida com suas finanças? Eu tive que fazer essa pergunta a mim mesmo e digo que a cada vez que me pergunto tenho uma resposta diferente. Porém o mais importante é que a falta de dinheiro não me tira mais o sono, não que ele tenha parado de faltar e sim porque aprendi a me organizar e saber justamente minhas limitações.

Logo aqui embaixo disponibilizei um teste para entendermos nosso comportamento financeiro.  Acho bacana fazer o teste antes de seguir com a leitura, ele é pequeno e bem rápido e pode te ajudar a entender melhor o restante do artigo.

link do teste

De acordo com o resultado do teste, podemos dividir os comportamentos em 3 grupos:

Se você fez de 0 a 10 – Cuidado: você precisa melhorar para não ter problemas

Você deve fazer uma avaliação de sua vida financeira e começar a acompanhar seus ganhos e despesas mais de perto. Inicie seu orçamento doméstico agora. Pode ser que esteja com problemas,

Se você fez de 11 a 20 – Atenção: você pode estar se arriscando!

Muito provavelmente você tem pouco conhecimento sobre as finanças de sua família. Comece agora mesmo seu controle de orçamento doméstico, comece a planejar um futuro financeiro.

Se você fez de 21 a 30 – Parabéns! Você esta no caminho certo!

Você esta no caminho certo. Só que acompanhar seu orçamento não é suficiente. Aqui começa o estágio mais complicado, planejamento e poupança para que grandes sonhos se tornem realidade.

Independente da sua pontuação, isso não é um teste definitivo então não se jogue da ponte e nem solte rojões tampouco. Mas em todos os resultados temos um ponto em comum: Controlar o orçamento doméstico!

Pra quem não esta familiarizado com tudo isso (e isso foi o meu caso lá quando comecei essa jornada alguns anos atrás), o orçamento doméstico é um modo de controlar e acompanhar as despesas e o dinheiro da família. Com uma medida simples, de fazer as contas de quanto dinheiro entra e quanto dinheiro sai no mês.

Dessa maneira você conseguirá perceber:

  • O quanto estamos gastando,
  • Quanto dinheiro temos no mês,
  • Se podemos gastar mais ou se devemos poupar
  • Como criar uma poupança

Eu sou um leitor compulsivo, adoro ler livros, jornais, revistas e adoro muito historias em quadrinhos. Comprava todo mês as revistas em uma banca perto de casa, além disso levava aquelas revistas semanais, edições especiais e tudo mais. Devido a minha frequência na banca, o jornaleiro permitiu que eu abrisse uma conta e anotasse tudo em um caderninho. Aliás isso é uma prática bem comum em mercearias e vendinhas em todo canto. Só que em um dos meses o dinheiro apertou e comecei a não pagar o total da minha conta (o cartão de crédito chama isso de rotativo). E aquela bola de neve cresceu, porque eu não parava de consumir, comprava cada vez mais e mais revistas, mesmo não tendo renda pra isso eu achava que daria tudo certo. Até o dia que o meu saldo devedor chegou a R$800,00 reais (e olha que nem tinham juros incidindo nessa conta)!!! Levei um susto e me perguntei como gasto 800 reais em revistas em quadrinhos? Isso acontece em todos as partes da nossa vida, compramos tudo sem parar e em muitos casos sem precisar.

A partir desse susto comecei a perceber que a mesma situação da banca acontecia em todos os outros “lugares” da minha vida. Nos cartões de crédito, na minha conta bancária e por ai vai…

Acredito firmemente que toda situação de crise é na verdade um momento de oportunidade e eu não queria mais viver pra pagar cartão, banca de jornal ou juros de conta bancária! Era a hora de fazer meu orçamento e controlar tudo isso!

Mas por onde começar? Eu não sou lá muito bom com números e achava as planilhas que encontrei pela internet bem complicadas. Então resolvi fazer a minha acreditando que “quanto mais simples, melhor”!

Então fiz da seguinte maneira:

  • Somei todos os meus ganhos (infelizmente no meu caso era um ganho só por mês);
  • Escrevi todos os meus gastos ao longo do mês (independentes deles serem gastos fixos ou variáveis), desde as contas de aluguel, água, luz, fatura do cartão de crédito até gastos com presentes, refeições e gastos extras (como passeios de finais de semana);

Mais a frente é legal separar os gastos fixos dos variáveis (mas deixemos isso pra um próximo artigo)

  • Some todos os ganhos e subtraia todas as despesas. Veja o saldo. O ideal é que exista um equilíbrio entre os ganhos e os gastos.

Em todos os pontos a disciplina tem que ser sua forte aliada, nunca abra mão dela (e isso serve pra tudo em sua vida). Todos os gastos devem ser anotados minuciosamente para que a você saiba quanto entra de renda e para onde está indo seu dinheiro. Faça isso por 30 dias. Num primeiro momento, o cafezinho na padaria ou a pizza da semana podem parecer inofensivos, mas são nos pequenos gastos que cometemos que estão os excessos: o banho demorado, a luz do abajur, a taxa de conveniência na hora de adquirir ingresso pelo smartphone…

Quase sempre, ao estabelecermos esse controle, toda nossa família percebe que é possível reduzir de 20% a 30% dos gastos. Troquei meu plano de celular por outro de outra operadora com franquia maior economizando 66% só nessa troca, pacote de TV a cabo é um outro exemplo.

Manter o orçamento doméstico é ter total controle das suas finanças e nunca mais ser pego de surpresa por não saber exatamente quanto tem na conta bancária.

No próximo artigo vamos falar mais sobre a criação de uma planilha de controle dos seus gastos.

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz